sexta-feira, 30 de junho de 2017

O poder das Redes Sociais

Lembram-se da história da minha mochila Moschino que contei aqui?

O único endereço de e-mail que encontrei foi da store online, obtive resposta a dizer que, sendo que a compra não foi feita via site, não era o endereço correto. Solicitei que me facultassem o e-mail para onde deveria dirigir a reclamação e lá me enviaram a informação pedida.

Enviei o primeiro mail no início de Junho e até ontem não tinha obtido resposta.
Sendo que no primeiro mail que enviei apenas contei o que tinha acontecido e demonstrava a minha revolta pela falta de qualidade, no três reminders seguintes salientava que estava estarrecida pelo facto de não me darem qualquer tipo de feedback.

Cansada e com muito pouca paciência, postei no Facebook, Twitter e Instagram a foto da alça e identifiquei a Moschino.

Sabem o que aconteceu????

Em menos de nada tinha um mail da Moschino a pedir desculpa pelo atraso na resposta e que tinha acontecido...lalalalala... e a informar que vão dar seguimento ao assunto.

Será que foi um acaso? Ou será que efectivamente as redes sociais servem para mais do que postar o que comemos, onde passamos férias, o que vestimos ou o que estamos a sentir?

E Moschino, não te preocupes, se me resolverem o assunto, da mesma forma que disse mal, também digo bem...se for esse o caso ;)

E o meu lema é este - TENS RAZÃO, APRESENTA RECLAMAÇÃO COM EDUCAÇÃO!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Tragédia

Que aflição...se estes acontecimentos trágicos já me aterrorizavam antes agora, depois da Delicinha nascer, ainda me aterrorizam mais.

Que horror...só me imaginava na situação daquelas famílias sem ter para onde fugir, dentro dos carros, a ver o fogo a chegar e sem poder escapar... Não tenho palavras....

E senhores jornalistas e meios de comunicação social, tenham vergonha na cara e não queiram ganhar audiências com um drama tão grande, com uma situação tão trágica - jornalistas a fazer reportagens em frente a corpos...repetição das mesmas imagens vezes e vezes sem conta, horas a bater na mesma tecla. E de uma vez por todas, saibam que sejam crianças, adultos ou idosos, é um terror igual, parem de colocar fotos das crianças que perderam a vida no fogo, é que se o fizessem com outra intenção que não o apelar à emoção e à cusquice mórbida, ainda aceitava, mas o motivos não são nobres, são só reles.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O feitio desta miúda

Depois de um feriado danado para o mau feitio (sai à mãe, minha rica filha), parece que leu o meu apelo do post anterior mas, com requintes de malvadez, hoje não acordou às 06.47h, mas sim às 06.00h e, delicadamente aos berros, pediu o seu leitinho matinal.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

06:47

TODOS os dias, mas mesmo TODOS os dias, às 06:47h, sim, seis horas e quarenta e SETE minutos, a Delicinha desperta-me com o seu "MAMÃAAAAAA" matinal.

Sendo que é a melhor maneira de acordar, poderia recomendar que adiantasse o relógio para as 07:15h já que é nessa hora que toca o despertador.

Hoje foi da mesma pontualidade britânica que nos tem habituado, com a agravante que desde essa hora até à hora em que a deixei com o meu pai NÃO PAROU DE FALAR UM SEGUNDO.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Santo António

Ó meu rico Santo António
Meu rico Santo Antoninho
se fosses bom para mim
deixavas-me dormir um soninho.

Estamos hoje a festejar
o santo casamenteiro
já dormia um soninho
nem que fosse num palheiro.

Vou comprar um manjerico
para o poder cheirar
ontem devia ter ido dormir
em vez de ter ido bailar.


Sou uma poeta...é o que é...

O meu sobrinho é o maior

A minha irmã participou nas Marchas Populares de Vila Real. Ontem lá desceu ela a Avenida Carvalho Araújo a cantar e a dançar.

Eu, o Parolo, a minha Mãe e a Delicinha não podíamos faltar, mas fomos de surpresa, que assim é mais giro. 
Claro que quase corria mal já que subimos e descemos a avenida 20 vezes até a encontrarmos (pelos vistos houve um problema de guarda roupa que atrasou a marcha)mas finalmente lá a encontramos e ela ficou super feliz em nos ver.
Tenho que dizer que:

  • Saímos de casa às 19h
  • Estivemos mais de meia hora no trânsito no túnel de Águas Santas
  • Fruto do acidente de Domingo no túnel do Marão, tivemos que ir pelo IP4 e apanhamos 3 camiões a subir
  • Tínhamos mesa reservada para as 20.30h, mas demoraram mais de uma hora a trazer as francesinhas - fomos ao Cardoso
  • Estava um calor abrasador em Vila Real, daquele em que estamos sempre coberta por uma película de suor...
Mas tudo valeu a pena. Encontramos a minha irmã, sobrinhos, cunhado e os pais dele. Os miúdos ficaram radiantes porque a Delicinha lá estava. Ela, que estava a ficar KO, despertou e ficou louca e fartou-se de dançar e abraçar os primos.

Entretanto conta-me o meu cunhado que o Henrique - Cabeça de Ovo, quando viu a minha irmã pronta para as marchas disse;

"Mamã, quase não te conhecia. só te reconheci pela cara!" 

HAHAHAHAHA, é com cada uma....

segunda-feira, 12 de junho de 2017

10 de Junho

Dia de Portugal, das Comunidades, de Camões e do meu PAPIIIIIII!!

Achava ele que a festa iria ser ao jantar em minha casa, mal sabia que ia ser almoço de picnic com uma Feijoada à maneira!

Foi tudo organizado em surpresa e estávamos todos cúmplices para que nada falhasse.
A minha irmã, ao meio dia, envia uma sms a dizer que está a sair de Vila Real, que vai almoçar com uma amiga e que depois aparecem lá em casa(quando enviou a mensagem já estava na quinta).
Eu não dizia nada de manha porque estaria a preparar tudo em casa para o jantar de logo.
A minha mãe "teve" que sair de manhã para casa da minha avó.
O meu irmão foi jogar Padel de manhã e nem sabia se ia almoçar.

Somos TODOS uns falsos....

Estávamos todos no local do picnic a preparar tudo, menos o meu irmão, que foi mesmo jogar Padel, mas que deu imenso jeito. 
Sendo que não nos ajudou a montar o estaminé, serviu para que na hora de almoço desse boleia ao meu pai para irem almoçar à minha avó, mas que, no entretanto a minha mãe tinha dito que era melhor ir buscar comida ao restaurante (que é perto da quinta) e assim não ia sozinho e tal.
Depois de termos sido avisados que o suspeito já estava a caminho, fomos todos para o portão e quando ele virou na esquina começamos todos a cantar PARABÉNS!
Ele ficou feliz da vida. Estávamos lá todos (se bem que acredito que nós até podíamos não estar, desde que estivessem os netos...)

O tempo esteve maravilhoso e o dia foi magnífico. A comida estava deliciosa e todos nos divertimos imenso!

Foi fantástico!!
PARABÉNS DADDY!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

CI VIS MO

Vamos lá soletrar mais uma vez: CI VIS MO.

Mas porque raio as pessoas não são cívicas???

Por favor pessoas, a falta de civismo chateia-me e incomoda-me, e eu queria andar zen que ando muito cansada...pior, o meu filtro está cada vez menos de confiar e posso reagir violentamente à estupidez...

Fui agora levantar dinheiro. No MB estava uma rapariga e um senhor aguardava já atrás dela. Passados 10 minutos, a rapariga continuava na máquina agarrada ao telemóvel a pedir instruções não sei a quem e a resmungar que não entendia nada.
É certo que ela poderia estar a fazer uma qualquer operação que não estivesse habituada e precisasse da explicação de alguém, mas se não estava a conseguir dar com o gato e reparando que estavam já duas pessoas à espera, poderia ter-se afastado por uns momentos, as pessoas tratavam da sua vida e ela voltava à dúvida existencial. Pelo menos é assim que EU faço. Sempre que estou a pagar contas, se vejo que alguém chegou e se ainda me falta muito, interrompo o que estou a fazer, dou a vez à pessoa seguinte e depois regresso.

Não tenho pachorra!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Uma noite sem a Delicinha

Tivemos um jantar de aniversário de um amigo. 
Decidimos que a Delicinha não iria por vários motivos, uns mais egoístas que outros:

  1. Estava muito frio, um vento ciclónico e o restaurante era à beira-mar;
  2. O jantar era mesmo na hora da sopa e tínhamos que ir de sopa e afins para o restaurante;
  3. Queríamos jantar tranquilos e conseguir conversar sem interrupções.
Nós temos um lema que é "Para onde nós vamos, ela vai". Não a consideramos como um incomodo e, não moldando a nossa vida a ela, adaptamos a nossa vida a esta nova realidade.
Até correu bem porque os outros casais pensaram a mesma coisa e ninguém levou filhos.

Ela ficou muito melhor! Foi para casa da minha mãe e divertiu-se à grande com os avós que ela adora e que lhe dão mil mimos e atenções.

Quanto a mim e ao Parolo....chegamos a casa, vestimos os pj's e fomos a correr para o sofá:
-"Vamos ver tv sem interrupções...IÉEEEE"...passados nem 5 minutos estávamos a dormir e a ressonar como porcos (é evidente e óbvio que isto é um exagero que eu não faço sons recos desses).
Sim, podia ter posto a minha leitura em dia (se bem que já era bem tarde); podíamos ter namorado (mas namoramos sempre); podíamos montes de coisas...mas dormimos...e muito...e bem....e que saudades da minha Delicinha que quase esmaguei quando a vi no almoço do dia seguinte.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Tão Espetacular

No escritório, para ir fazer xixi, tenho que levar o telemóvel e ligar a lanterna....fundiram as 2 lâmpadas dos dois candeeiros do recinto.

Será normal? Será prenúncio? Será karma?

segunda-feira, 5 de junho de 2017

AL / DL #4

AL - Lia livros sem fim. Lia um pouco antes de dormir. Ao fim de semana, se ficava por casa, era bem capaz de ler o dia e a noite toda.
Houve tempos em que tão absorvida com um livro, a ler pela madrugada fora, mas já cheia de sono tinha o comportamento estranho de fechar o livro, fechar os olhos e dizer a mim própria "Vou só descansar um bocadinho e já retomo" como se alguém me batesse e se eu não continuasse a ler.

DL - só consegui ler 1 livro em 16 meses. 
Se pego num livro enquanto ela está distraída a brincar, levanta-se e vem pedir-me colo; se me escapo para ler umas páginas enquanto ela está a brincar com o Pai, desata a chamar "Mamãaaaaaa". Chega ao ponto de eu a deitar, ela estar já ferrada a dormir, eu estar a fazer outras coisas, mas quando me sento e pego no livro....ela acorda e chora.
Ontem dizia-me o Parolo: "Por favor, não leias, senão ela acorda" :s

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Memory Lane #4

Baby Blues:

O Pós-parto foi tão horrível que cheguei mesmo a ir passar uns tempos à minha mãe, já que eu quase nem conseguia pegar na bebé ao colo...
Não tive depressão pós parto mas os Baby Blues no fim de semana (a Delicinha nasceu numa quarta-feira) foi de morrer a rir...ou melhor, de chorar a rir.

Mesmo estando com o Parolo e com a minha Mãe, só me sentia verdadeiramente confortável e tranquila quando estava a minha irmã.
A minha irmã chegava e eu sentia um alívio, uma paz imensa.
Durante aquele fim-de-semana se me diziam: 

"Está frio!" - BUAAAAAAAA
"Está calor!" - BUAAAAAAAA
"Que horas são?" - BUAAAAAAAA

A Camila queria muito tirar uma foto com a Laura, quando me disseram que tinha tempo - BUAAAAAAAA, tadinha na menina que quer uma foto com a prima e ninguém tira....

Pergunto à Camila "Quem é a fofinha da títi" e ela responde "Agora é a Laura títi" .... - BUAAAAAAAA, tu também és!!

Tocam à porta. fico irritada que não queria estar a receber visitas. Entram e afinal é a minha irmã - BUAAAAAAA

Houve quem ficasse muito aflito porque achava que eu estava em depressão, mas não era verdade que eu estava óptima, estava era com a lágrima fácil e hormonas aos saltos. 

Felizmente passou rápido, chegou no sábado e foi-se no domingo.

Houve que se fartasse de rir e que, até hoje, passado 1 ano e tal, ainda me goze à fartazana.

Memory Lane #3

Pós-Parto:

H O R R I B I L I S 


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Memory Lane #2

Parto:
O parto iria ser induzido nessa manhã, mas ela acho que a ela ninguém a despejava de casa e então começou a dar sinais de madrugada.
Eu, que não tenho dificuldades em dormir e durmo como uma pedra, comecei a sentir um desconforto mas sem me aperceber que estaria a entrar em trabalho de parto.
Até que já passava das 5h da manhã dei um salto na cama e acordei o Parolo: "Acho que está na hora"
A criatura deu um salto e disse " A sério?? Já?? OK"

Levantou-se de um salto deu uma arrumadela à sala, vestiu-se, fez-me o pequeno almoço, foi levar o lixo, tudo numa azáfama enquanto eu, tranquilamente fui tomar um banho e vestir-me com muita calma.

Descemos para o carro e, se bem que tínhamos falado mil e quinhentas vezes sobre o caminho para o hospital, se bem que o hospital já estava nos favoritos do GPS, depois de já lá termos ido mil vezes para as consultas e o curso de preparação para o parto, ainda assim, chegando à rotunda, perguntou "Para que lado???"
E estando eu já com contracções, fomos pelo caminho em paralelo... Mas a felicidade era muita só nos riamos.

Chegamos ao hospital, entrei pelas urgências mas segui logo para a Sala de Partos.
Já tinha alguma dilatação e não fosse ela estar com as costas voltadas para o outro lado e estar ainda muito em cima (apesar da minhas longas caminhadas para ela descer) ela tinha nascido em poucas horas.

Como sou uma criatura intolerante à dor, é minha convicção que se há formas de não doer, porquê aguentar, deram-me logo epidural.
E foi o céu...estava relaxadinhaaaaa...
Estava a dormir e senti um estrondo, tinham rebentado as águas.
O Parolo esteve sempre comigo e ainda rimos bastante.

Só uma coisa me chateou é que estava cheia de sede e só me apetecia Sumo de Laranja natural e  ninguém me deu.

Já tinha sido vista por um médico e estava sempre acompanhada pelas enfermeiras e fui muito bem tratada no Hospital Pedro Hispano em Matosinhos.
De repente chega o médico e diz "Bem, preparem esta Mãe porque nasceu agora aquele, depois nasce o outro, mas eu quero esta a nascer primeiro"

E eu "O que?? Jáááá?"

Sim, tinha chegado a hora.

Entra a médica e prepara-se e diz " Já está ali a cabeça" e eu ri-me e disse "sim...é porque está.." e ela confirmou que estava mesmo.
O médico pediu um banquinho e, para ajudar, carregou-me ma barriga depois de ter agarrado uma ponta do lençol do outro lado. Aquilo doeu e eu agarrei-lhe o braço e disse "nã nã, que isso doi"
Ele calmamente respondeu "Faça o que quiser, grite, morda-me, bata-me, só não me agarre o braço", mas durante todo este processo estávamos todos divertidos e bem-dispostos, não era um ambiente traumatizante.

Veio a contracção e eu puxei e depois de entrar no hospital às 8h, às 17.14h

 Delicinha nasceu com 49cm e 3,600Kg.

Memory Lane #1

Como hoje celebro o dia em que recebi a notícia que estava grávida, fiquei nostálgica a relembrar todo o processo até hoje.

Gravidez:
Tive uma gravidez santa, sem enjoos, sem náuseas, sem dores, sem sustos, sem retenções ou inchaços, muita calma, muita alegria, muita paz.
Mesmo no fim sentia-me um pouco pesada, mas sem grandes problemas.


Dois anos!!

E faz hoje 2 anos que, no Dia Mundial da Criança, eu recebi a melhor notícia de sempre: A Delicinha vinha a caminho!!!

E que saudades desse dia tão fabuloso!!!